Modernismo na Literatura Brasileira

O que foi, resumo, principais características e escritores, linguagem modernista, três fases do modernismo


Cartaz anunciando a Semana de Arte Moderna de 1922: início do Modernismo
Cartaz anunciando a Semana de Arte Moderna de 1922: início do Modernismo

 

O que foi

 

O Modernismo foi um importante movimento cultural (principalmente nas artes plásticas e literatura), que teve início, no Brasil, no começo da década de 1920. A Semana de Arte Moderna de 1922 é considerada o marco inicial desse movimento, que se estendeu forte pelo restante da primeira metade do século XX.

 

Foi um movimento cultural importante, pois rompeu com o tradicionalismo e apresentou algo totalmente inovador nos campos da literatura, artes plásticas e outras manifestações artísticas e culturais.

 

Contexto histórico do Modernismo:

 

- O movimento teve início no pós-Primeira Guerra Mundial.

 

- Surgimento e ascensão dos movimentos fascistas na Europa e fortalecimento dos regimentos totalitários.

 

- Época de grande desenvolvimento tecnológico em diversos setores.

 

- No Brasil, ocorreu no contexto da crise e fim do regime oligárquico e a chegada de Getúlio Vargas ao poder com a Revolução de 1930.

 

Principais características gerais do Modernismo na Literatura:

 

- Rejeição das normas estéticas tradicionais. Os escritores modernistas buscaram novos tipos de linguagens. Portanto, podemos dizer que o Modernismo se caracterizou por grande inovação e criatividade.

 

- Influência das correntes de vanguarda da Europa.

 

- Valorização da realidade brasileira.

 

- Uso de experimentações no campo da prosa e da poesia.

 

- Inovação da linguagem poética (novos ritmos, aproximação entre poesia e prosa, novo fraseado, entre outras.).

 

- Valorização da civilização moderna, expressando uma nova concepção de mundo.

 

- Presença de diversificados temas do cotidiano.

 

- Presença de humor, sátira e ironia em muitas obras modernistas.

 

As três fases do Modernismo e seus principais escritores:

 

- Primeira Fase do Modernismo (1922 a 1930): fase de rompimento com o tradicionalismo com forte característica de rejeição aos modelos literários anteriores. Teve estreita ligação com a Semana de Arte Moderna de 1922. O humor, a crítica social e a linguagem informal fizeram parte dessa fase. A valorização dos índios brasileiros, assim como o nacionalismo crítico e o ufanista também estiveram presentes.

Podemos destacar, nessa fase, os seguintes escritores brasileiros: Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Manuel Bandeira e Alcântara Machado.

 

- Segunda Fase do Modernismo (1930 a 1945): fase marcada pela poesia sintética, uso de versos livres, politização, denúncias sociais (principalmente nos romances) e questionamentos da realidade brasileira.

Os principais escritores brasileiros desse período foram: Murilo Mendes, Vinícius de Morais, Carlos Drummond de Andrade, Jorge Amado, Erico Verissimo, Rachel de Queiroz, José Lins do Rego, Graciliano Ramos, Cecília Meireles e Jorge de Lima.

 

- Terceira Fase do Modernismo (1945 até a década de 1960): houve uma grande diversificação nessa fase. No campo da poesia muitos poetas buscaram um equilíbrio em suas obras, distanciando-se das ironias excessivas, sátiras e do ideal de liberdade total. Na prosa, houve uma aproximação com questões psicológicas, intimistas e problemas do homem moderno. Há também, entre alguns escritores, a valorização do regionalismo.

Entre os principais representantes desse período, podemos citar: Guimarães Rosa, Clarice Lispector, Ferreira Gullar, João Cabral de Melo Neto e Manoel de Barros.

 

Exemplo de grandes obras literárias do Modernismo no Brasil:

 

- Macunaíma (1928) de Mário de Andrade.

 

- O Quinze (1930) de Rachel de Queiroz.

 

- Cobra Norato (1931) de Raul Bopp.

 

- Serafim Ponte Grande (1933) de Oswald de Andrade.

 

- Estrela da Manhã (1936) de Manuel Bandeira.

 

- Olhai os Lírios do Campo (1938) de Erico Verissimo.

 

- Sagarana (1946) de Guimarães Rosa.

 

- Vidas Secas (1938) de Graciliano Ramos.

 

- A Rosa do Povo (1945) de Carlos Drummond de Andrade.

 

- Fogo Morto (1943) de José Lins do Rego.

 

- Claro Enigma (1951) de Carlos Drummond de Andrade.

 

- Gabriela, Cravo e Canela (1958) de Jorge Amado.

 

- Morte e Vida Severina (1955) de João Cabral de Melo Neto.

 

- Romanceiro da Inconfidência (1953) de Cecília Meireles.

 

Síntese:

 

Período: primeira metade do século XX).

 

Marco mais importante e inicial: Semana de Arte Moderna de 1922.

 

Principais características: abordagem de temas ligados à realidade brasileira e assuntos cotidianos, inovações estéticas, influências da literatura de vanguarda europeia.

 

 

Publicado em: 07/12/2019
___________________________________

Por Elaine Barbosa de Souza
Graduada em Letras (Português e Inglês) pela FMU (2002).






Modernismo na Literatura Brasileira Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Poesia, mito e história no Modernismo Brasileiro

Autor: Oliveira, Vera Lúcia de

Editora: Unesp

Ano: 2015

Temas do livro: Literatura Brasileira, Modernismo


Veja Também


Temas diversos

Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2019 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.