Graciliano Ramos

Saiba mais sobre a vida e a obras desse importante escritor modernista brasileiro


Graciliano Ramos: importante escritor do Modernismo no Brasil
Graciliano Ramos: importante escritor do Modernismo no Brasil

 

Quem foi


Graciliano Ramos de Oliveira, conhecido mais amplamente por sua obra “Vidas Secas”. É considerado um dos grandes escritores (romancista, contista e cronista) da Segunda Geração do Modernismo no Brasil.

 

Graciliano Ramos - mais conhecido por sua obra Vidas Secas (1938) - foi romancista, cronista, contista, jornalista, político, militante comunista e memorialista brasileiro. Foi autor de várias obras, dentre elas Angústia (1936), sendo considerada por vários críticos a sua melhor obra.

 

Biografia resumida:


- Graciliano Ramos de Oliveira, nasceu em Quebrangulo (município de Alagoas) na data de 27 de outubro de 1892.

 

- Oriundo de uma família grande de classe média era o filho mais velho do comerciante Sebastião Ramos de Oliveira e Maria Amélia Ramos.

 

- Passou o início de sua infância migrando para diversas cidades da Região Nordeste do Brasil.

 

- Aos 13 anos, foi para o Colégio 15 de Março, em Maceió.

 

- Por volta dos 14 anos, iniciou sua vida profissional como colaborador do jornal “O Malho”, publicando alguns sonetos.

 

- Aos 17 anos começou a escrever rotineiramente para o Jornal de Alagoas, Maceió.

 

- Em 1914, foi para o Rio de Janeiro e trabalhou como revisor de diferentes jornais. Contudo; permaneceu por pouco tempo, pois precisou retornar à Palmeira dos Índios, logo no ano seguinte, por conta da morte de familiares que foram vítimas da peste bubônica.

 

- Sua primeira esposa foi Maria Augusta Ramos, com a qual teve quatro filhos. Ela morreu em 1920 por complicações no parto.

 

- Em 1925, começou a escrever o romance Caetés.

 

- Em 1927 foi eleito prefeito da cidade Palmeira dos Índios (Alagoas).

 

- Em 1928 casou-se com a sua segunda esposa - Heloísa Leite de Medeiros - sendo o primeiro filho do casal o escritor Ricardo Ramos (1929 - 1992).

 

- Em 1930 renunciou ao cargo de prefeito e voltou a ser colaborador do Jornal de Alagoas. Mudou-se para Maceió e passou a trabalhar como diretor da Imprensa Oficial, professor e diretor da Instrução Pública do estado.

 

- De 1934 a 1945 publicou várias obras, entre elas: São Bernardo (1934), Angústia (1936), Vidas Secas (1938); foi preso sob a acusação de ligações com o Partido Comunista Brasileiro (cumpriu pena de 1936 a 1937); ingressou no Partido Comunista Brasileiro; viajou à Europa com sua segunda esposa e publicou Infância, relato autobiográfico (1945).

 

- Faleceu aos 60 anos, em 20 de março de 1953, vítima de câncer do pulmão.

 

Movimento literário que fez parte:

 

- Modernismo (2ª Geração também conhecida como Geração de 30)

 

Principais características de seu estilo literário:


Apesar da obra de Graciliano Ramos ter surgido num momento de notória projeção do romance de 30 no Nordeste, quando fatores de enredo - como contexto social, problemática política ou paisagem - costumavam predominar sobre a personagem, sua obra segue sentido oposto, ou seja, o homem, apesar de aparecer vinculado a uma realidade regional, não é ofuscado por ela.

 

Principais obras de Graciliano Ramos:


- Caetés - romance - Editora Schmidt, 1933;

 

- São Bernardo - romance - 1934;

 

- Angústia - romance - 1936;

 

- Vidas Secas – romance - 1938;

 

- A Terra dos Meninos Pelados - contos infanto-juvenis - 1939;

 

- Brandão Entre o Mar e o Amor - romance - 1942 – (escrito em parceria com Jorge Amado, José Lins do Rego, Aníbal Machado e Rachel de Queiroz)

 

- Histórias de Alexandre - contos infanto-juvenis - 1944;

 

- Dois dedos - coletânea de contos - 1945;

 

- Infância - memórias - 1945;

 

- Histórias Incompletas - coletânea de contos - 1946;

 

- Insônia - contos - 1947;

 

- Memórias do Cárcere - memórias - 1953; (obra póstuma)

 

- Viagem - crônicas - 1954; (obra póstuma)

 

- Linhas Tortas - crônicas - 1962; (obra póstuma)

 

- Viventes das Alagoas - crônicas - 1962; (obra póstuma)

 

- Alexandre e Outros Heróis - contos infanto-juvenis - Editora Martins, 1962); (obra póstuma)

 

- Cartas - correspondência - 1980; (obra póstuma)

 

- O Estribo de Prata - literatura infantil - 1984; (obra póstuma)

 

- Cartas de amor à Heloísa - correspondência - 1992; (obra póstuma)

 

- Garranchos - textos inéditos - 2012. (obra póstuma)


Capa do livro Vidas Secas

 

 

 

Vidas Secas (1938): uma das principais obras de Graciliano Ramos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Artigo publicado em: 24/01/2020
___________________________________

Por Elaine Barbosa de Souza
Graduada em Letras (Português e Inglês) pela FMU (2002).






Graciliano Ramos Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Graciliano Ramos - um escritor personagem

Autor: Brunacci, Maria Izabel

Editora: Autêntica

Ano: 2018

Temas do livro: Literatura Brasileira, Biografia


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2020 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.