Revolução Russa de 1917

Resumo sobre a Revolução Russa de 1917, causas e consequências, introdução, o que foi, imagens, contexto histórico.


O czar Nicolau II: absolutismo na Rússia pré-revolução
O czar Nicolau II: absolutismo na Rússia pré-revolução

 

Introdução (Rússia antes da revolução - contexto histórico)


No começo do século XX, a Rússia era um país de economia atrasada e dependente da agricultura, pois cerca de 80% da economia estava concentrada no campo (produção de gêneros agrícolas).

 

Os trabalhadores rurais viviam em extrema miséria e pobreza, pagando altos impostos para manter a base do sistema czarista de Nicolau II. O czar governava a Rússia de forma absolutista, ou seja, concentrava todos os poderes em suas mãos, não abrindo espaço para a democracia ou qualquer outro tipo de participação popular. Mesmo os trabalhadores urbanos, que desfrutavam dos poucos empregos da insignificante indústria russa, viviam descontentes com o governo do czar.

 

No ano de 1905, Nicolau II mostrou a cara violenta e repressiva do seu governo. No conhecido Domingo Sangrento, ele mandou seu exército fuzilar milhares de manifestantes. Marinheiros do encouraçado Potenkim também foram reprimidos pelo czar.

 

Os sovietes

 

Na década de 1910, teve início a formação dos sovietes (organização de trabalhadores russos) sob a liderança de Lênin. Os bolcheviques começavam a preparar a revolução socialista na Rússia e a queda da monarquia.

 

A Rússia na Primeira Guerra Mundial


Faltavam alimentos na Rússia czarista, empregos para os trabalhadores, salários dignos e democracia. Mesmo assim, Nicolau II jogou a Rússia na Grande Guerra. Os gastos com o conflito, os prejuízos e a ineficiência militar russa nas batalhas, fizeram aumentar muito a insatisfação popular com o governo. A entrada e participação da Rússia no conflito foi preponderante para o aumento da vontade popular por uma revolução, que fosse capaz de mudar totalmente o quadro político e econômico no país.

 

 

Greves, manifestações e a queda da monarquia


As greves de trabalhadores urbanos e rurais espalharam-se pelo território russo. Muitas vezes, ocorreram motins dentro do próprio exército russo. As manifestações populares reivindicavam por democracia, mais empregos, melhores salários e o fim da monarquia czarista. Em 1917, o governo de Nicolau II foi retirado do poder e Kerensky assumiu (menchevique) o governo provisório.

 

Lênin fala aos revolucionários em 1917  

 

 

A Revolução Russa de outubro de 1917


Com Kerensky no poder, pouca coisa havia mudado na Rússia. Os bolcheviques, liderados por Lênin, organizaram uma nova revolução, que ocorreu em outubro de 1917. Prometendo paz, terra, pão, liberdade e trabalho, Lênin assumiu o governo da Rússia e implantou o socialismo. As terras foram redistribuídas para os trabalhadores do campo, os bancos foram nacionalizados e as fábricas passaram para as mãos dos trabalhadores. Muitos integrantes da monarquia, além de seus simpatizantes e opositores ao nascente regime socialista, foram perseguidos e condenados à morte pelos revolucionários.

Lênin também retirou seu país da Primeira Guerra Mundial, no ano de 1918. Foi instalado o partido único no país: o PC (Partido Comunista).


Manifestação de civis e militares na Rússia, em 1917.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Manifestação de civis e militares na Rússia, em 1917.

 

 

A formação da URSS e as consequências da revolução


Após a revolução, foi implantada a URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas). Seguiu-se um período de grande crescimento econômico, principalmente após a NEP (Nova Política Econômica). A URSS tornou-se uma grande potência econômica e militar. Mais tarde, rivalizou com os Estados Unidos na chamada Guerra Fria.

 

Após a revolução, a situação da população geral e dos trabalhadores pouco mudou no que diz respeito à democracia. O Partido Comunista reprimiu qualquer manifestação considerada contrária aos princípios socialistas. A falta de democracia imperou na URSS. Milhares de opositores foram perseguidos, presos e assassinados pelo governo bolchevique.

 

O regime totalitário soviético atuou até mesmo no campo da fé. O Estado Soviético agiu para enfraquecer o cristianismo e outras religiões, incentivando o ateísmo (nas escolas, meios de comunicação, locais de trabalho, etc.) e proibindo as religiões. O pensamento de Marx de que "a religião é o ópio do povo" foi seguido à risca pelo governo socialista soviético.

Triste situação, que perdurou durante toda a história da União Soviética, ou seja, de 1922 a 1991.


Bandeira da União das República Socialistas Soviéticas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bandeira da União das República Socialistas Soviéticas, que teve sua origem na Revolução Russa de 1917.

 

 

Os líderes da União Soviética durante o regime socialista:


- Vladimir Lenin (8 de novembro de 1917 a 21 de janeiro de 1924) .


- Josef Stalin (3 de abril de 1922 a 5 de março de 1953).


- Nikita Khrushchov (7 de setembro de 1953 a 14 de outubro de 1964).


- Leonid Brejnev (14 de outubro de 1964 a 10 de novembro de 1982).


- Iúri Andopov (12 de novembro de 1982 a 9 de fevereiro de 1984).


- Konstantin Chernenko (13 de fevereiro de 1984 a 10 de março de 1985).


- Mikhail Gorbachev (11 de março de 1985 a 24 de agosto de 1991).

 

 

Última revisão: 03/09/2018
___________________________________

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).




Impressão Google+


Revolução Russa de 1917 Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

As revoluções russas e o socialismo soviético

Autor: Filho, Daniel Aarão Reis

Editora: Scielo - Editora Une

Temas do livro: História Geral, História Contemporânea, Revolução

 

A revolução que mudou o mundo

Autor: Filho, Daniel Aarão Reis

Editora: Companhia das Letras

Temas do livro: História Geral, Resumo, Revolução Russa de 1917


Veja Também


Temas diversos

Siga-nos no
Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2018 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.