Independência do Paraguai

O processo de independência do Paraguai ocorreu em 1811.


Gaspar Rodríguez de Francia: ideólogo e líder da Independência do Paraguai
Gaspar Rodríguez de Francia: ideólogo e líder da Independência do Paraguai

 

Quando ocorreu

 

O Paraguai conquistou sua independência da Espanha em 15 de maio de 1811 (data da declaração de independência).

 

Contexto histórico e principais causas

 

A região que é hoje o Paraguai foi colonizada pelos espanhóis a partir do século XVI. Os espanhóis criaram vilas e fundaram a cidade de Assunção, que se tornou um dos principais centros coloniais da Espanha na América do Sul.

 

Em 1776, o rei Carlos III da Espanha criou o Vice-Reino do rio da Prata, que unia juridicamente a Argentina, o Paraguai, o Uruguai, a Bolívia, o norte do Chile e até os atuais estados brasileiros de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A capital administrativa do vice-reino ficou em Buenos Aires, fator que deixou descontente os paraguaios, pois Assunção perdeu importância e relevância política.

 

Havia também no Paraguai um crescente ideal emancipacionista entre alguns integrantes da elite da região. Esses ricos comerciantes e aristocratas paraguaios desejavam a independência para aumentar seus poderes políticos e conquistar maior autonomia econômica, livre das amarras metropolitanas. Porém, existiam muitos paraguaios e espanhóis (monarquistas), representantes da corte espanhola, que não desejavam essa separação.

 

Outro fator que influenciou no processo de independência do Paraguai foi a invasão dos franceses, liderados por Napoleão, na Espanha, em 1808. Esse fato gerou a desintegração do Vice-Reino do rio da Prata. A Argentina criou a Províncias Unidas do rio da Prata, em substituição ao vice-reino. Porém, os políticos paraguaios se recusaram a integrar essa nova organização e decidiram se manterem fiéis ao Conselho de Regência (órgão político espanhol que foi formado durante a ocupação napoleônica).

 

No final do ano de 1810, a Argentina enviou expedições militares ao Paraguai para anexar a região as Províncias Unidas do rio da Prata. Porém, os monarquistas paraguaios venceram os argentinos em duas batalhas, em janeiro e março de 1811.

 

Nos dias 14 e 15 de maio de 1811, estourou uma revolução pacífica no Paraguai, liderada pelos militares Pedro Juan Caballero e Fulgencio Yegros. Foi o momento em que ocorreu a declaração de independência do país. Na sequência, José Gaspar Rodríguez (conhecido como o líder e ideólogo da independência), importante e respeitado político paraguaio, negociou com representantes do governo da Espanha a autonomia definitiva do Paraguai.

 

Yegros e Caballero, líderes da Revolução de Maio de 1811

Yegros e Caballero, líderes da Revolução de Maio de 1811: fato que marcou o processo de Independência do Paraguai.

 

Principais consequências:

 


O Paraguai ganhou autonomia do domínio colonial espanhol, permitindo-lhe estabelecer o seu próprio governo e políticas.


Sob a liderança do Dr. José Gaspar Rodríguez de Francia e governantes subsequentes, o Paraguai adotou uma política de isolacionismo. O país teve interação mínima com outras nações, especialmente nos primeiros anos após a independência. Este isolamento ajudou o Paraguai a desenvolver uma identidade cultural e política única, mas também o manteve econômica e tecnologicamente atrás dos seus vizinhos.

O Dr. Francia implementou reformas agrárias significativas, redistribuindo terras dos espanhóis e da igreja para o estado e, em menor grau, para o campesinato. Este movimento reduziu a influência estrangeira e aumentou o controle estatal sobre a economia.


As políticas isolacionistas levaram o Paraguai a concentrar-se na autossuficiência. O Estado controlava grandes indústrias e promovia o desenvolvimento interno, que teve algum sucesso em tornar o Paraguai economicamente independente, mas limitado em termos de crescimento econômico mais amplo.


A independência promoveu um forte sentimento de identidade nacional entre os paraguaios. O isolamento das influências externas permitiu o desenvolvimento de práticas culturais únicas e a preservação da língua guarani, que ainda hoje é amplamente falada no Paraguai.

A formação de uma identidade paraguaia distinta também levou a um elevado sentimento de nacionalismo, que desempenharia mais tarde um papel nos conflitos regionais, mais notavelmente na Guerra do Paraguai (Guerra da Tríplice Aliança) de 1864 a 1870.


A independência do Paraguai fez parte de uma onda mais ampla de descolonização na América do Sul. Esta mudança contribuiu para uma mudança na dinâmica política da região, à medida que os novos estados independentes navegavam nas suas relações entre si e com as potências europeias.


A posição e as políticas do Paraguai pós-independência acabaram por levar a conflitos com os países vizinhos, culminando na devastadora Guerra do Paraguai, que teve impactos significativos a longo prazo na demografia e na economia do país.




 

Artigo publicado em 05/11/2020

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).




Você também pode gostar de:


Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

História da América Latina - da Independência a 1870

Autor: Berthell, Leslie

Editora: Edusp

 

Fonte de referência:

 

- CAMPOS, Raymundo. Estudos de História Moderna e Contemporânea. São Paulo: Editora Atual, 1988.


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.



Copyright © 2004 - 2024 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.