China Antiga

A China Antiga tem início por volta de 4.700 a.C. com a Cultura de Hongshan ainda no período pré-histórico do Neolítico.


Muralha da China: grande exemplo da arquitetura chinesa
Muralha da China: grande exemplo da arquitetura chinesa

 

Formação dos reinos feudais e as funções dos reis e nobres


Em decorrência das invasões sofridas, a China foi dividida em reinos feudais independentes no período compreendido entre os séculos III e IV. Nesse tipo de reino, o rei desempenhava a função de chefe religioso e cabia aos nobres a responsabilidade de defender o território contra as invasões estrangeiras.

 

As principais fases da China Antiga são:

 

1 - Dinastias chinesas


Após um período de luta entre os principados, quando os nobres já se encontravam mais fortes do que o rei, houve o surgimento das primeiras dinastias chinesas. A primeira delas foi a Sui, que no ano de 580 conseguiu unificar os reinos. No ano de 618, essa dinastia foi substituída pela Tang, que teve como característica principal a contribuição significativa no desenvolvimento cultural do povo chinês. 

 

A dinastia Tang entrou em declínio após ser derrotada pelos árabes, no ano de 751, sendo substituída, em 907, pela dinastia Sung. Esta última elevou o crescimento econômico e estimulou o desenvolvimento da cultura. Foi também durante essa dinastia que a pólvora foi inventada.   

 

Guerreiros de Terracota da dinastia chinesa Qin

Guerreiros de Terracota da dinastia chinesa Qin: são também conhecidos como Exército do imperador Qin. Foram feitos por volta do ano 210 a.C. e enterrados com o imperador Qin Shi Huang. São cerca de 8 mil soldados, além de muitos cavalos e carruagens.

 

 

2 - O período da fragmentação política

 

Entre os anos de 907 e 960, a história da China foi marcada pela fragmentação política. Essa época ficou conhecida como o Período das Cinco Dinastias e Dez Reinos. Nessa fase, a China se transformou num conjunto de vários estados independentes.

 

3 - Domínio mongol

 

No período compreendido entre os anos de 1211 e 1215, os mongóis invadiram a China e deram início ao seu império, que passou a ser dividido em 12 províncias. Contudo, eles deram continuidade ao desenvolvimento alcançado pelo reino anterior. 

 

Em 1368, a dinastia mongol foi derrubada pela resistência interna, e, essa, assumiu o poder com o nome de dinastia Ming. Durante esse período, foi realizada uma política que expandiu o território chinês para a Manchúria, Indochina e Mongólia. Entretanto, esse reinado começou a cair com a chegada dos europeus, em 1516, e teve seu fim definitivo no ano de 1644, após a invasão manchu. 

 

Religião e cultura da China Antiga


Quando estudamos a China, não podemos deixar de estudar outros dois pontos importantes. O primeiro deles é o Budismo, que teve forte influência nas manifestações artísticas chinesas como a literatura, a pintura e a escultura. O segundo é a Grande Muralha da China, que foi levantada, antes do século III a.C., com o propósito de defender os principados contra as invasões de seus inimigos. Foi reconstruída entre os séculos XV e XVI, cruzando o país de leste a oeste.

 

Informações, dados e curiosidades:

 

- Um dos mais importantes filósofos da China Antiga foi Confúcio (criador do Confucionismo). Ele defendia a ideia de que a natureza humana é boa, porém, é corrompida pelo uso indevido do poder. Este pensamento foi muito utilizado para explicar o período de fragmentação política, vivido pela China no século X.


- O taoísmo, espécie de tradição filosófica e religiosa oriental, foi criado na China Antiga. O sábio e filósofo chinês Lao Zi (Lao-Tzu ou Lao-Tse) foi quem, no século VI a.C., criou o taoísmo.


- A dinastia Han, que governo a China entre os séculos III a.C. e III d.C. foi responsável por grande desenvolvimento. Durante esse período, ocorreu a ampliação da Grande Muralha da China, cargos administrativos foram criados e ocupados pelos mandarins e a Rota da Seda (ligava a China ao Ocidente) foi aberta.

 

- Um dos períodos de maior desenvolvimento da China Antiga ocorreu durante o reinado do imperador Qin (247 a.C. a 221 a.C.). Ele unificou a China e criou o Primeiro Império, além de ter implantado um sistema único de medidas, pesos e escrita. Na área militar, ele expandiu as fronteiras do império chinês.

 

Qin Shihuang foi primeiro imperador chinês
Qin Shihuang, primeiro imperador da China. Seu reinado foi de 247 a.C. a 221 a.C.

 

 

VOCABULÁRIO DO TEXTO:

 

- Dinastia: série de reis ou imperadores, que sucedem o trono sucessivamente, por nascimento (transmissão hereditária de poder, de pai para filho).

- Mongóis: grupo étnico que habitava a região da Ásia Central (norte da China).


- Budismo: sistema religioso e filosófico fundado por Buda, Sidarta Gautama (563 a.C.-463 a.C.).


- Confucionismo: sistema filosófico criado na China Antiga por Confúcio (551 a.C.- 479 a.C.).


- Mandarins: na China antiga eram os altos funcionários públicos.

 

 

 

 



Última revisão: 29/07/2020

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).






China Antiga Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Fontes de pesquisa consultadas para a elaboração do texto:

 

- ARRUDA. José Jobson de Andrade. História Antiga e Medieval. São Paulo: Editora Ática, 1988.

 

- GUARINELLO, Norberto Luiz. História Antiga. São Paulo: Contexto, 2013.


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2020 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.