Junqueira Freire

Quem foi, biografia resumida, resumo do estilo literário, principais obras, características de suas poesias românticas


Junqueira Freire: um dos grandes poetas do Romantismo no Brasil
Junqueira Freire: um dos grandes poetas do Romantismo no Brasil


Quem foi

 

Luís José Junqueira Freire (nome completo) foi um monge católico e poeta baiano do século XIX. É considerado um importante representante da Segunda Geração do Romantismo (Ultraromantismo) na Literatura Brasileira.

 

Biografia resumida:

 

- Junqueira Freire nasceu na cidade de Salvador (Bahia), em 31 de dezembro de 1832.

 

- Teve uma infância com sucesso escolar, porém com problemas de saúde (doença cardiovascular). Desde cedo, apresentou grande interesse pela poesia, pois tinha muito talento e vocação para a produção literária.

 

- Aos 19 anos, seus pais o colocaram no Mosteiro de São Bento. Porém, Junqueira Freire viveu muito triste e revoltado neste local, pois não era o caminho que desejava para sua vida. Por outro lado, o isolamento e a tranquilidade da vida monástica deram-lhe condições para ler muito e produzir suas poesias. Também trabalhou como professor no mosteiro.

 

- Em 1853, solicitou sua secularização. Foi para casa e produziu sua autobiografia e uma coleção de versos.

 

- Faleceu de problemas cardíacos, em Salvador, aos 22 anos, em 24 de junho de 1855.

 

Principais características do seu estilo literário:

 

- Poesias marcadas por profunda tristeza, pessimismo, melancolia e desesperança. Egocentrismo e subjetivismo também são características de suas poesias, assim como o desejo pela vida com os prazeres do mundo.

 

- Suas poesias tratam, principalmente, de temas religiosos (ligados ao cristianismo) e amorosos. Porém, também aparecem em seus textos, questões filosóficas e de caráter social.

 

- Sua obra reflete várias experiências que teve no mosteiro e nas conflituosas relações familiares. Portanto, a autobiografia é um dos principais aspectos de sua obra.

 

Principais obras de Junqueira Freire:

 

- Inspirações do claustro, 1855.

 

- Elementos de retórica nacional, 1869.

 

- Obras, edição crítica por Roberto Alvim Corrêa, 3 vols., 1944.

 

Você sabia?

 

- Junqueira Freire é o patrono da cadeira número 25 da Academia Brasileira de Letras.

 

Trechos de algumas de suas poesias:

 

O JESUÍTA

 

“Era longe — bem longe: e eu vim primeiro

Cindindo as ondas desse mar profundo.

E por amor da Cruz vaguei sozinho

Nas ínvias matas desse novo mundo.

 

O tamoio gentil ervava as setas,

Quando pelos vergéis, tão seus, me via:

E co'os olhos fosfóricos ardendo

A taquara fatal a mim tendia”.

 

MORTE

(Hora de Delírio)

 

"Pensamento gentil de paz eterna,

Amiga morte, vem. Tu és o termo

De dous fantasmas que a exigência formam,

— Dessa alma vã e desse corpo enfermo.

 

Pensamento gentil de paz eterna,

Amiga morte, vem. Tu és o nada,

Tu és a ausência das moções da vida,

Do prazer que nos custa a dor passada.

 

Pensamento gentil de paz eterna,

Amiga morte, vem. Tu és apenas

A visão mais real das que nos cercam,

Que nos extingues as visões terrenas".

 

 

Artigo publicado em 06/11/2019
___________________________________

Por Elaine Barbosa de Souza
Graduada em Letras (Português e Inglês) pela FMU (2002).






Junqueira Freire Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Em torno da vida de Junqueira Freire

Autor: Castro, Renato Berbert de

Editora: Funceb

Ano: 1980

Temas do livro: Biografia, Literatura Brasileira


Veja Também


Temas diversos

Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2019 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.