Eugênio de Castro

Eugênio de Castro foi um poeta simbolista português.


Eugênio de Castro: importante poeta do simbolismo português
Eugênio de Castro: importante poeta do simbolismo português

 

Quem foi

 

Eugênio de Castro e Almeida foi um importante poeta português do final do século XIX e início do XX. É considerado, assim como Camilo Pessanha, um dos principais representantes do Simbolismo em Portugal.

O seu livro Oaristos, publicado em 1890, é considerado o marco inicial do simbolismo português.

 

Biografia

 

Eugênio de Castro nasceu na cidade de Coimbra (Portugal) em 4 de março de 1869.

 

Cresceu em um ambiente erudito, estudando na Universidade de Coimbra, onde foi aluno de Simões Dias. Esta formação desempenhou um papel vital na configuração da sua visão literária.


Depois de terminar a sua formação, Eugênio de Castro seguiu uma carreira acadêmica, tornando-se professor na Universidade de Coimbra. Este papel permitiu-lhe influenciar gerações de estudantes, incluindo muitos que se tornaram importantes figuras literárias em Portugal.


Eugênio de Castro também seguiu uma carreira na diplomacia. Trabalhou no consulado português em Paris, onde teve a oportunidade de se conectar com a elite literária da França, o que permitiu que ele fosse influenciado e também influenciasse o movimento simbolista.

 

Faleceu em sua cidade natal em 17 de agosto de 1944, aos 75 anos.



Características de seu estilo literário:

 

• Utilização, em seus poemas, de sinestesias (figura de linguagem).

 

• Uso de vocabulário marcado pela musicalidade.

 

• Castro tinha uma profunda admiração pelas culturas clássicas da Grécia e de Roma, bem como uma fascinação pelas mitologias e tradições orientais. Isso se reflete em suas obras, nas quais ele muitas vezes incorpora elementos dessas culturas.

 

• Eugênio de Castro era conhecido pelo uso de rimas raras e novas (inéditas).

 

• Um sentimento de pessimismo e saudade permeia grande parte da obra de Castro. Seu trabalho é muitas vezes marcado pela presença de uma tristeza melancólica.

 

• Usava linguagem rica e evocativa. Ele frequentemente empregava descrições vívidas e imagens poéticas em seu trabalho, criando uma sensação de beleza e profundidade.

 

• Utilização de aliteração, figura de linguagem muito usada por poetas simbolistas.

 

• Obra caracterizada pela presença do exotismo. Ele se inclinou para ambientes e personagens estrangeiros em suas obras, trazendo um sentido de mistério e estranheza.

 

Foto de Eugênio de Castro sentado numa cadeira

Eugênio de Castro: um dos grandes nomes da literatura portuguesa do século XX.

 

 

Principais obras poéticas de Eugênio de Castro:

 

- Oras Tristes (1888)


- Oaristos (1890)


- Horas (1891)


- Sylva (1894)


- Salomé e outros poemas (1896)


- O rei Galor (1897)


- Saudade do Céu (1899)


- Depois da ceifa (1901)


- A sombra do quadrante (1906)


- A mantilha de medronhos (1923)

 

Capa do livro Oaristos

Capa do livro Oaristos: uma das principais obras do poeta Eugênio de Castro.

 

 




Por Elaine Barbosa de Souza
Graduada em Letras (Português e Inglês) pela FMU (2002).




Você também pode gostar de:


Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Tipologia do Simbolismo nas culturas Russa e Ocidental

Autor: Cavalieri, Arlete

Editora: Humanitas


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.



Copyright © 2004 - 2024 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.