Estoicismo

O estoicismo foi uma corrente filosófica que surgiu na Grécia Antiga.


Zenão de Cítio: o fundador do estoicismo
Zenão de Cítio: o fundador do estoicismo

 

O que foi

 

O estoicismo foi uma escola filosófica, que surgiu na Grécia na primeira metade do século IV a.C.. O filósofo grego Zenão é conhecido como o fundador do estoicismo.

 

Origem da palavra

 

A palavra estoicismo surgiu da palavra grega stoá, que significa pórtico ou porta de entrada da cidade. Essa escola filosófica ficou conhecida por este nome, pois Zenão não possuía cidadania ateniense. Como estrangeiro, reunia-se com outros filósofos na “entrada da cidade” ou na stoá.

 

Evolução: da Grécia para Roma

 

Logo, os estoicos eram uma espécie de filósofos marginais na Grécia do século IV a.C. Mas nos séculos seguintes, principalmente no Império Romano, o estoicismo tornou-se a corrente filosófica mais popular entre os integrantes da elite.

 

Principais características: ideias, princípios e pensamentos estoicos:

 

- Recebeu influência do filósofo grego Sócrates, além da escola filosófica Epicurista (epicurismo).

 

- O mundo, para os estoicos, era aquele que podia ser observado (valorização do racionalismo). Portanto, o homem deve dedicar-se ao conhecimento para entender a ordem e o funcionamento do cosmos.

 

- Desprezo aos problemas e dificuldades da vida.

 

- Valorização do ensino da ética.

 

- Valorização do pensamento que leva à reflexão.

 

- A felicidade como objetivo principal da vida.

 

- A virtude como caminho principal para uma vida feliz.

 

- Relação entre felicidade e vida em harmonia com a natureza.

 

- Autocontrole como forma de superar os sentimentos e pensamentos destrutivos (desarmônicos).

 

- Negação e desprezo aos prazeres (hedonismo). Neste ponto, o estoicismo se diferencia do epicurismo.

 

- Para os estoicos, Deus não é o criador de tudo, mas sim está presente em tudo. Ele é o próprio universo (princípio de logos divino). Desta forma, o universo é governado por uma razão divina e natural. Neste contexto, o ser humano faz parte do cosmos.

 

Exemplos de filósofos estoicos gregos:

 

- Zenão de Cítio (333 a.C. – 263 a.C.)

 

- Cleantro de Assos (330 a.C. – 230 a.C.)

 

- Crisipo de Solis (280 a.C. – 208 a.C.)

 

- Antíprato de Tarso (200 a.C. – 129 a.C.)



Exemplos de filósofos estoicos romanos:

 

- Panécio de Rodes (185 a.C. – 110 a.C.)

 

- Sêneca (4 a.C. – 65 d.C.)

 

- Epicteto (50 – 138 d.C.)

 

- Marco Aurélio (121 d.C. – 180 d.C.)

 

Epicteto, filósofo grego

Epicteto (55-135): outro exemplo de filósofo estoico da Antiguidade.

 


Importantes obras para conhecer o pensamento estoico:

 

- Manual de Epicteto

 

- Discursos de Epicteto

 

- Meditações de Marco Aurélio

 

- Cartas a Lucílio (Sêneca)

 

Busto do imperador e filósofo romano Marco Aurélio

Busto do imperador e filósofo estoico romano Marco Aurélio (121-180)

 

 



Última revisão: 13/09/2020

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).




Você também pode gostar de:


Estoicismo Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Fontes de referência:

 

- BELO, Renato dos Santos. 360° Filosofia – História e Dilemas. São Paulo: Editora FTD, 2015. 

 

- COTRIM, Gilberto e FERNANDES, Mirna,. Fundamentos de Filosofia. São Paulo: Editora Saraiva, 2017. 


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Logotipo do site Suapesquisa.com em preto e branco Copyright © 2004 - 2021 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.