Águas Superficiais e Subterrâneas

Veja no texto abaixo a diferença e principais características das águas superficiais e subterrâneas.


Água em estado líquido: superficiais ou subterrâneas
Água em estado líquido: superficiais ou subterrâneas

 

ÁGUAS SUPERFICIAIS

 

 

O que são - definição geográfica

 

Em Geografia, águas superficiais são aquelas que se encontram em corpos de água localizados acima da superfície topográfica da Terra. Ou seja, são as águas que estão em contato com a atmosfera.

 

As águas superficiais são muito utilizadas pelos seres humanos. São de extrema importância para a navegação, irrigação agrícola, consumo humano, entre outras utilidades.

 

Exemplos de águas superficiais:

 

- Águas oceânicas (de oceanos)

 

- Águas lacustres (de lagos)

 

- Águas fluviais (de rios)

 

- Águas marinhas (de mares)

 

Você sabia?

 

- Além das águas superficiais, existem também, em nosso planeta, as águas subterrâneas e aquelas que estão congeladas nos polos, nos icebergs e nos permafrosts.

 

Águas do oceano, exemplo de águas superficiais

Águas do oceano, exemplo de águas superficiais.

 

 

 

 

ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

 

 

O que são (definição)


Águas subterrâneas são aquelas presentes no subsolo do planeta Terra, localizando-se, principalmente, em espaços vazios entre as rochas.

 

Estas águas representam uma importante fatia da água doce do planeta e estão presentes, principalmente, nos aquíferos.

 

Principais características:


- Quase a totalidade das águas subterrâneas é doce e, portanto, próprias para o consumo humano.

 

- Em muitos locais a extração das águas subterrâneas é complexa, em função da profundidade do aquífero ou da presença de rochas muito duras.

 

- Em muitos locais podem possuir grandes quantidades de minerais.

 

Importância


Em função da falta de água doce em muitas regiões, as águas subterrâneas tornam-se uma excelente opção para o uso em diversas atividades (residencial, industrial, agricultura e etc.).

 

São de extrema importância na manutenção da umidade do solo e na alimentação de muitos lagos e rios existentes no mundo todo.

 

Em muitas regiões afastadas dos grandes centros urbanos, em que não há presença de água encanada, são extraídas do subsolo através de poços artesianos, tornando-se assim uma boa opção para o consumo.

 

Poluição das águas subterrâneas


As águas subterrâneas podem, assim como as superficiais, enfrentar problemas relacionados à poluição. Esta deriva, principalmente, da contaminação do solo por produtos químicos de origem agrícola (pesticidas), industrial (chumbo e outros metais pesados) e residencial (esgoto doméstico).

 

Estes poluentes podem penetrar na terra e contaminar as águas subterrâneas, deixando-as impróprias para o consumo. Uma vez poluídas, estas águas subterrâneas podem conduzir estes poluentes para os rios e lagos com os quais possuem contato.

 

Aquíferos brasileiros


As águas subterrâneas estão presentes em grande volume no Brasil. Sendo que a maior quantidade deste tipo de água está presente no Aquífero Guarani, localizado no subsolo dos estados de SP, MS, GO, PR, SC, RS, noroeste do Uruguai e faixa leste da Argentina. Este aquífero possui, aproximadamente, 35 trilhões de metros cúbicos de água doce.

 

Os mais  importantes aquíferos brasileiros são: Barreiras (costa nordeste e norte do Brasil); Solimões e Alter do Chão (Amazônia); Cabeças, Serra Grande e Poti-Piauí (estados do Piauí e Maranhão); Açu (no Rio Grande do Norte) e São Sebastião (na Bahia).

 

Os lençóis freáticos

 

O solo é formado por diversos tipos de partículas. Essas partículas não estão coladas umas nas outras, ao contrário, existem pequenos espaços entre elas. Em geral, esses pequenos espaços são ocupados por ar, entretanto, nas partes mais profundas do solo, o ar dá lugar à água, formando o que chamamos de lençol freático.

 

O lençol freático é, portanto, a camada do solo que permanece saturada de água, servindo como um reservatório natural. Esse reservatório é muito importante para a manutenção do ciclo hidrológico, uma vez que garante parte da água que abastece os rios e a umidificação do solo.


A água encontrada no lençol freático é proveniente da chuva, do derretimento das neves e fluxo de água dos rios. Quando chove, a água penetra no solo até encontrar alguma barreira impermeável, como um maciço rochoso. Em geral, os lençóis freáticos estão localizados entre 500m e 1000m de profundidade, porém em alguns lugares eles afloram na superfície dando origem a nascentes e lagoas.

 

Diferença entre lençois freáticos, águas subterrâneas e aquíferos


É importante não confundir o lençol freático com as águas subterrâneas, que são fluxos de água livre localizadas em cavidades abaixo do solo, ou com os aquíferos, que se localizam abaixo de estruturas rochosas permeáveis.

 

Imagem de um lençol Freático
Lençol Freático: reservatório natural de água.

 

 

Curiosidades:


- De acordo com estudos hidrológicos recentes, as águas subterrâneas possuem volume cem vezes maior do que as águas doces superficiais (presentes nos rios, lagos, córregos e etc.).

 

- Em algumas localidades, as águas subterrâneas afloram das rochas com temperaturas elevadas.

 

Desenho mostrando a água se infiltrando no subsolo

Infiltração da água no subsolo através das rochas. Uma das formas da formação das fontes de águas subterrâneas.

 

 

 



atualizado em 14/12/2020

 




Você também pode gostar de:


Águas Superficiais e Subterrâneas Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Fontes de referência do texto:

 

- OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino e ROSS, Jurandyr Luciano Sanches,. Geografia do Brasil. São Paulo: Edusp, 2014.

- ALMEIDA, Mauricio de. Geografia Global - Geral e do Brasil - Volume Único - Ensino Médio. São Paulo: Escala Educacional, 2010.


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Logotipo do site Suapesquisa.com em preto e branco Copyright © 2004 - 2021 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.