Vida e obra de Patativa do Assaré

Patativa do Assaré foi um compositor, poeta popular e improvisador cearense do século XX.


Patativa do Assaré: compositor, poeta e improvisador
Patativa do Assaré: compositor, poeta e improvisador

 

Quem foi

 

Patativa do Assaré era o nome artístico (pseudônimo) de Antônio Gonçalves da Silva. Foi um dos mais importantes representantes da cultura popular nordestina. Foi poeta, compositor, cantor e improvisador cearense do século XX.

 

Biografia resumida: vida e obras

 

Nasceu em 5 de março de 1909, na cidade de Assaré (estado do Ceará).

 

Dedicou sua vida a produção de cultura popular (voltada para o povo marginalizado e oprimido do sertão nordestino). Com uma linguagem simples, porém poética, destacou-se como compositor, improvisador e poeta. Produziu também literatura de cordel, porém nunca se considerou um cordelista.

 

Sua vida na infância foi marcada por momentos difíceis. Nasceu numa família de agricultores pobres e perdeu a visão de um olho. O pai morreu quando tinha oito anos. A partir deste momento começou a trabalhar na roça para ajudar no sustento da família.

 

Foi estudar numa escola local com doze anos, porém ficou poucos meses nos bancos escolares. Nesta época, começou a escrever seus próprios versos e pequenos textos. Ganhou da mãe uma pequena viola aos dezesseis anos. Muito feliz, passou a escrever e cantar repentes e se apresentar em pequenas festas da cidade.

 

Ganhou o apelido de Patativa, uma alusão ao pássaro de lindo canto, quando tinha vinte anos. Nesta época, começou a viajar por algumas cidades nordestinas para se apresentou como violeiro. Cantou também diversas vezes na rádio Araripe. 

 

No ano de 1956, escreveu seu primeiro livro de poesias “Inspiração Nordestina”. Com muita criatividade, retratou aspectos culturais importantes do homem simples do Nordeste. Após este livro, escreveu outros que também fizeram muito sucesso. Ganhou vários prêmios e títulos por suas obras.

 

Patativa do Assaré faleceu no dia 8 de julho de 2002, aos 93 anos, em sua cidade natal.

 

Estátua em homenagem a Patativa do Assaré

Patativa do Assaré (estátua em Fortaleza, Ceará).



Principais características de suas obras:

 

Linguagem regional e popular: ficou conhecido por sua habilidade em capturar a essência da linguagem oral do sertão nordestino. Ele utilizava o dialeto regional em suas poesias, o que lhes dava autenticidade e uma conexão profunda com o povo daquela região. Essa característica fazia com que suas obras fossem facilmente reconhecíveis e muito apreciadas pelo público em geral, especialmente pela população do Nordeste brasileiro.


Temática social e política: muitos dos poemas de Patativa do Assaré tratavam de temas sociais e políticos, especialmente a dura realidade do sertanejo nordestino. Ele abordava questões como a seca, a pobreza, a desigualdade social e a luta pela terra, sempre com um olhar crítico e, ao mesmo tempo, humanizado. Sua obra é um reflexo da realidade vivida por muitos nordestinos, e ele usava sua poesia como uma forma de denúncia e expressão política.


Riqueza rítmica e melódica: ele tinha um talento especial para criar versos com uma rica musicalidade. Seus poemas muitas vezes eram feitos para serem recitados ou cantados, contendo uma cadência rítmica muito característica. Essa musicalidade é uma marca da tradição oral do sertão, e Patativa do Assaré a elevou a um nível de arte, tornando suas obras memoráveis e agradáveis ao ouvido.

 

 

Livros (principais obras):

 

- Inspiração Nordestina - 1956

- Inspiração Nordestina: Cantos do Patativa −1967

- Cante Lá que Eu Canto Cá - 1978

- Ispinho e Fulô - 1988

- Balceiro. Patativa e Outros Poetas de Assaré - 1991

- Cordéis - 1993

- Aqui Tem Coisa - 1994

- Biblioteca de Cordel: Patativa do Assaré - 2000

- Balceiro 2. Patativa e Outros Poetas de Assaré - 2001

- Ao pé da mesa – 2001



Poemas mais conhecidos

 

- A Triste Partida 

- Cante Lá que eu Canto Cá 

- Coisas do Rio de Janeiro 

- Meu Protesto 

- Mote/Glosas 

- Peixe 

- O Poeta da Roça 

- Apelo dum Agricultor 

- Se Existe Inferno 

- Vaca estrela e Boi Fubá 

- Você e Lembra? 

- Vou Vorá 

 

Imagem em preto e branco mostrando umas casas pequenas e um homem grande segurando uma igreja e um balão

Capa antiga de uma obra (cordel) de Patativa do Assaré

 

 




Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).




Você também pode gostar de:


Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Patativa do Assaré - um poeta cidadão

Autor: Carvalho, Gilmar de

Editora: Expresso Popular

 

Patativa do Assaré - o sertão dentro de mim

Autor: Carvalho, GIlmar de

Editora: Tempo Dimagem


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.



Copyright © 2004 - 2024 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.