História da Bolívia

Conheça os principais fatos históricos da Bolívia desde os povos pré-colombiano até os dias atuais.


Tupac Amaru II: tentou restabelecer o Império Inca no século XVIII
Tupac Amaru II: tentou restabelecer o Império Inca no século XVIII

 

Período Pré-Colombiano


-  No período pré-colombiano (antes da chegada dos espannhóis em 1492), a região da atual Bolívia já era povoada por povos que estabeleciam relação de vassalagem com o Império Inca.


- A região dos altiplanos bolivianos possuía uma grande densidade demográfica, antes da conquista espanhola. O império Tiahuanaco que se estendia da costa do pacífico até os altiplanos, se estabeleceu como grande força político-militar, ainda no século VII.


- Com o colapso do império Tiahuanaco, no século XI, a região dos altiplanos bolivianos foi controlada por um grupo de 12 etnias, que compartilhavam as mesmas técnicas agrícolas, de irrigação e línguas que derivaram do ramo linguístico aymara. Tais sociedades,foram subjugadas pelo Império Inca no século XV, antes da invasão espanhola.



Conquista espanhola e período colonial



- No século seguinte, foi a vez dos espanhóis dominarem de maneira brutal a região, escravizando os povos indígenas que habitavam a região da atual Bolívia.



- No contexto da dominação espanhola, talvez o líder mais célebre do período, foi o inca Tupac Amaru II, que encabeçou uma revolta para restabelecer o império inca na região durante o século XVIII. A principal bandeira do movimento liderado por Amaru, era a revolta contra a escravidão de seu povo. É importante lembrar que esse movimento se iniciou no Peru vindo a se perpetuar também na Bolívia.

 

- Entre os séculos XVI e XVIII, a Bolívia foi uma colônia de exploração da Espanha. Os espanhóis exploraram, principalmente, os recursos minerais do país. Toda a parte jurídica, administrativa e econômica da região do Alto Peru foi comandada pela corte espanhola.



Independênciada Bolívia


 
 - O Alto do Peru, como era conhecida a região, foi uma das primeiras colônias espanholas a se rebelar, em 1809. Historiadores discutem se essa rebelião foi o protótipo das guerras de independência que sacudiram a América Latina.


- Em 1825, após mais de 16 anos de lutas, a região tornou-se independente, liderados por Simón Bolívar e Antonio José Sucre.



- Em 6 de agosto de 1825, o Congresso do Alto Peru, declarou o país independente. Desse modo, Bolivar se tornou o primeiro presidente da Bolívia, que ele ajudou a moldar e ao qual empresta parte de seu nome. O sistema republicano foi adotado no país. Bolivar morreu em dezembro de 1830, na Colômbia.


Simon Bolivar, líder da independência da Bolívia



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Simon Bolivar: líder do processo de independência e primeiro presidente da Bolívia.

 

 

 

 




Perdas de territórios


- Durante boa parte do século XIX, Bolívia e Chile tiveram momentos de tensão política devido a questões relativas à exploração de recursos naturais em território boliviano, por parte de consórcios anglo-chilenos. Essas tensões culminaram na Guerra do Pacífico, onde a Bolívia tornou-se um dos poucos países no continente sem saída para o mar, já que o Chile tomou o acesso  para o oceano Pacífico.


- No começo do século XX, a Bolívia passou por mais transformações no traçado de suas fronteiras. No ano de 1903, através de acordo comercial, o estado do Acre foi vendido ao Brasil. Aliviando tensões com o setor extrativista do lado brasileiro.


- Durante a Guerra do Chaco (1932-1935), o Paraguai tomou terras que pertenciam a Bolívia, a guerra do Chaco foi causada por disputas para exploração de jazidas de petróleo na região.


- A partir da guerra do Chaco até o final dos anos de 1950, o país vivenciou uma sucessão de movimentos de cunho marxista.



A Revolução de 1952


- Em 1952, ocorre um levante revolucionário na Bolívia. O presidente que havia sido eleito no ano anterior e impedido de tomar posse pelos militares, Victor Paz Estenssoro, é colocado no poder pelos revolucionários. Paz Estenssoro começa a implantar a nacionalização de minas e a reforma agrária. As medidas, consideradas socialistas, foram desaprovadas por investidores estrangeiros, pelos EUA e também pelos militares. Esse contexto abriu caminho para o golpe militar de 1964.



Regime militar e fatos mais recentes



- Em 1964, ocorreu um Golpe de Estado, liderado por militares, que tomaram o poder no pais. Bolívia viveu momentos de ditadura militar e supressão de direitos cívis. O regime militar boliviano durou até 1982, quando os militares o poder para Siles Zuazo.


- Em 1996, a Bolívia tornou-se membro associado do Mercosul.



- E em 2005, Evo Morales se tornou o primeiro presidente de origem indígena do país.



- Em maio de 2006, Evo Morales anuncia a nacionalização das jazidas e a exploração do gás e do petróleo no país.



- Em 2009, com 64% dos votos, Evo Morales é reeleito presidente da Bolívia. Neste segundo mandato, governo boliviano inicia um processo de reforma agrária e de estatização de emrpesas estrangeiras.


- Em 2014 Evo Morales é reeleito novamente e governa o país até novembro de 2019.


- Em 12 de novembro de 2019, Evo Morale renúncia ao cargo de presidente. Assume a presidência do país a advogada e senadora Jeanine Áñez.


Foto de Evo Morales

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Evo Morales: de origem indígena, foi presidente por três vezes na história recente da Bolívia.

 

 

 

 

 

_______________________________

publicado em 23/07/2020






História da Bolívia Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

História da Bolívia

Autor: Herbert S. Klein

Editora: UNB

Ano: 2016

Temas do livro: História


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2020 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.