Guerra dos Bôeres

A Guerra dos Bôeres foi um conflito militar entre o Império Britânico e os colonos holandeses da África do Sul.


Guerra dos Bôeres: a expansão do imperialismo inglês
Guerra dos Bôeres: a expansão do imperialismo inglês

 

O que foi

 

A Guerra dos Bôeres ocorreu através de dois conflitos militares, desenvolvidos na África do Sul, entre os anos de 1899 e 1902. Esta guerra ocorreu entre o Império Britânico e os colonos holandeses (chamados de boers). Este conflito foi mais um exemplo do imperialismo britânico no continente africano.

 

A Guerra dos Bôeres resultou, portanto, de uma combinação de fatores econômicos, políticos e culturais, inseridos no contexto mais amplo da expansão imperial britânica e da importância estratégica da África do Sul para o Império Britânico.


Contexto histórico

 

Fazendeiros holandeses foram viver na região sul da África do Sul, a partir do século XVII. Usavam mão de obra escrava da região. No começo do século XIX, os britânicos dominaram a região, forçando os holandeses a migrarem para o interior.

 

Na região interior da África do Sul, os fazendeiros holandeses fundaram duas repúblicas livres: Orange e Transvaal. Enquanto isso, os ingleses se concentraram em suas colônias na região litorânea do sul da África (Colônia do Cabo).

 

Na segunda metade do século XIX, os bôeres encontram minas de ouro e diamantes em áreas de suas repúblicas. A partir de então, estrangeiros (principalmente súditos britânicos) partiram para o interior para explorar estas minas em territórios dominados pelos bôeres. Porém, muitos destes estrangeiros foram impedidos de praticar a mineração nestas terras holandesas.

 

O governo britânico passou então a apoiar os ingleses que se dirigiam à região mineradora, fato que provocou revolta nos bôeres. Em represália, no final de 1899, os bôeres passaram a atacar as colônias britânicas, dando início à guerra.

 

 

Principais causas da guerra:

 

1. Controle sobre minas de ouro: a descoberta dos maiores depósitos de ouro do mundo na Bacia de Witwatersrand, na República da África do Sul (Transvaal), em 1886, causou uma corrida do ouro que atraiu garimpeiros e mineradores estrangeiros, especialmente da Grã-Bretanha. A riqueza dessas minas de ouro e a questão de quem controlaria e se beneficiaria dessa riqueza tornou-se um importante ponto de discórdia.



2. Direitos Políticos dos Uitlanders: como resultado da corrida do ouro, o Transvaal viu um rápido influxo de "Uitlanders", mineradores e garimpeiros estrangeiros (principalmente britânicos). Apesar de sua contribuição significativa para a economia local, o governo Boer negou a esses estrangeiros direitos políticos, especialmente o direito de voto, causando descontentamento.



3. Ambições imperiais britânicas: o Império Britânico, sob a influência do Alto Comissariado para a África Austral Alfred Milner, procurou consolidar seu controle sobre a região, incluindo as repúblicas bôeres independentes. A ambição de criar uma África do Sul unificada sob controle britânico desempenhou um papel crucial no avanço para a guerra.



4. Tensões Culturais: havia tensões culturais e políticas de longa data entre os bôeres, descendentes de colonos holandeses com língua e cultura distintas, e os britânicos. O desejo de independência dos bôeres e a busca britânica pela dominação criaram um atrito significativo.



5. Jameson Raid: o fracassado Jameson Raid em 1895-1896, uma tentativa do estadista colonial britânico Leander Starr Jameson e suas forças de derrubar a República do Transvaal, piorou as relações entre os bôeres e os britânicos.



6. Ultimato da República do Transvaal: em outubro de 1899, o Transvaal emitiu um ultimato à Grã-Bretanha exigindo o fim do acúmulo de tropas britânicas perto de suas fronteiras. Quando a Grã-Bretanha declinou, as repúblicas bôeres declararam guerra.

 


Como terminou a guerra

 

Com um exército maior e com recursos bélicos mais avançados, os ingleses derrotaram os holandeses.

 

A Guerra terminou em 31 de maio de 1902, com a derrota dos bôeres e a assinatura do Tratado de Paz de Vereeniging.



As principais consequências foram:

 

• As repúblicas bôeres do Transvaal e Orange foram anexadas às colônias britânicas do Cabo e Natal. Em 1910, formou-se a União Sul-Africana.

 

• Aumento do imperialismo britânico na região sul da África.

 

• Após a guerra, os bôeres se ficaram ainda mais nacionalistas e determinados a preservar sua cultura e identidade sob a dominação inglesa.

 

• Embora derrotados, os bôeres receberam uma indenização de três milhões de libras dos ingleses para reconstruir as áreas arrasadas pela guerra. Além disso, pelo tratado de paz, conquistaram o direito de usar a língua holandesa nas escolas, tribunais e órgãos públicos em geral.

 

Cerco de Ladysmith durante a Guerra dos Boêres
Cerco de Ladysmith durante a Guerra dos Boêres.

 


 

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).




Você também pode gostar de:


Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Cultura e Imperialismo

Autor: Said, Edward W.

Editora: Companhia das letras

 

Fontes de referência do texto:

 

- VICENTINO, Cláudio. História Geral – volume único. São Paulo: Editora Scipione, 2011.

 

- NETO, J. A. Freitas; TASINAFO, Celio Ricardo. História Geral e do Brasil. São Paulo: Harbra, 2015.


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.



Copyright © 2004 - 2024 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.