Gregório de Matos

Gregório de Matos foi um poeta barroco brasileiro do século XVII. Teve destaque com suas poesias satíricas.


Gregório de Matos: importante poeta colonial brasileiro
Gregório de Matos: importante poeta colonial brasileiro

 

Quem foi 

 

Gregório de Matos e Guerra foi um importante poeta colonial brasileiro do século XVII. É considerado um dos grandes autores do barroco brasileiro e português.

 

Biografia resumida

 

Nasceu em 7 de abril de 1633, na cidade de Salvador (Bahia).

 

Era de uma família rica, formada por empreiteiros e altos funcionários administrativos. Estudou num colégio Jesuíta da Bahia e depois continuou seus estudos na cidade de Lisboa e depois na Universidade de Coimbra, onde se formou em Direito. Neste país fez carreira de jurista.



Ao retornar ao Brasil, passa a viver de trabalhos na área jurídica, mas também começa sua dedicação à literatura. Passa a escrever sátiras sobre a sociedade da época. Em função de suas críticas duras aos integrantes da sociedade (políticos, religiosos, empresários) ganhou o apelido de “boca do inferno”. Também escreveu poemas de caráter erótico e amoroso.



As autoridades locais começaram a ficar descontentes com as críticas e passaram a perseguir Gregório de Matos. Preso em 1694, foi deportado para Angola (África). 



Depois de um tempo, ganha a autorização para retornar ao Brasil. Porém, vai viver na cidade de Recife. Nesta cidade, faleceu em 26 de novembro de 1696 de febre que havia contraído em Angola.

 

Principais características de seu estilo literário:

 

- Poemas marcados por forte presença de sátiras.


- Obra caracterizada por muitas críticas à Igreja Católica e a sociedade baiana da época em que vivia.


- Presença de versos com teor erótico. Fato que escandalizou a sociedade conservadora e tradicional da época.


- Abordou questões de caráter religioso (ligadas ao cristianismo).

 

- Enquanto escritor barroco, retratou em sua obra muitas contradições e elementos sociais e religiosos de valores opostos.

 

- Do ponto de vista estético, destacou-se na elaboração de rimas bem elaboradas.

 

- Grande presença de hipérboles (ênfase nos exageros).

 

- Presença do Cultismo (versos e palavras muito bem elaboradas, erudição e refinamento intelectual).

 

Retrato do poeta barroco Gregório de Matos

Gregório de Matos: um dos principais representantes da literatura barroca de língua portuguesa.

 

 

 

Poema de Gregório de Matos:



A EL REY D. PEDRO II COM UM ASTROLABIO DE TOMAR O SOL, QUE MANDOU O Pe. VALENTIM STANCEL DEDICADO AO RENASCIDO MONARCA.

Este, Senhor, que fiz leve instrumento 
Para pesar o sol a qualquer hora, 
Dedico a aquele Sol, a cuja aurora 
Já destinam dous mundos rendimento. 


Desta minha humildade, e desalento, 
Que a sua quarta esfera não ignora, 
subindo a oitavo céu, pertende agora 
A estrela achar no vosso firmamento. 


Eu, que outro sol no seu zenith pondero 
Aos do Nascido Soberanos Raios, 
Pesando-me eu a mim me desespero. 


Mas vós, Águia Real, esses ensaios 
Entre os vossos levai, pois considero, 
Que nunca em tanta sombra houve desmaios.

 

 

 

 



Última revisão: 31/08/2020

Por Elaine Barbosa de Souza
Graduada em Letras (Português e Inglês) pela FMU (2002).

 




Você também pode gostar de:


Gregório de Matos Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Poemas de Gregório de Matos

Autor: Malard, Letícia

Editora: Autêntica

Temas: Poesia e Literatura Brasileira

 

Gregório de Matso - O Poeta Devorador

Autor: Peres, Fernando da Rocha

Editora: Manati

Temas: Biografia e Literatura Brasileira

 

 

Fontes de referência:

 

- MOISÉS Massau. A Literatura Brasileira através dos textos. São Paulo: Cultrix, 2012.


- BOSI, Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. São Paulo: Cultrix, 2015.


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2021 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.