Povos Bárbaros

Os bárbaros viviam nas fronteiras do Império Romano e o invadiram no século V. A cultura desses povos, somada a dos romanos, fez parte da formação da Europa Medieval.


Átila, líder dos hunos
Átila, líder dos hunos

 

Quem eram os bárbaros?

 

Os germânicos habitavam as regiões norte e nordeste da Europa e noroeste da Ásia, na época do Império Romano, e viveram em relativa harmonia com os romanos até o século IV de nossa era. Realizavam trocas e comércio com os romanos através das fronteiras e muitas vezes eram contratados para integrar o exército.

 

Por que eram chamados de bárbaros?

 

Os romanos usavam a palavra “bárbaro” para todos aqueles que habitavam fora das fronteiras do império e que não falavam sua língua oficial: o latim. A convivência pacífica entre eles durou até o século IV, quando uma horda de hunos pressionou outros povos bárbaros nas fronteiras do Império Romano. No século IV e no seguinte, ocorreram diversas invasões germânicas, muitas vezes violentas, que acabaram por derrubar o Império Romano do Ocidente. Além da chegada dos hunos, podemos citar como outros motivos que ocasionaram a invasão dos bárbaros a busca por riquezas, por solos férteis e climas agradáveis.

 

Os principais povos bárbaros eram:

 

– Alanos: originários do nordeste do Cáucaso. Entraram no Império Romano entre os séculos IV e V. Ocuparam a região da Hispânia e o norte da África.

 

– Anglos e saxões: originários do norte da atual Alemanha e leste da Holanda. Penetraram e colonizaram as Ilhas Britânicas no século V.

 

– Francos: estabeleceram-se na região da atual França e fundaram o Reino Franco.

 

- Frísios: povo do norte da Europa que invadiu a Grã-Bretanha no século V. Se juntaram aos anglo-saxões.

 

– Lombardos: invadiram a região norte da Península Itálica.

 

– Burgúndios: estabeleceram-se no sudoeste da França.

 

– Visigodos: instalaram-se na região da Gália, Itália e Península Ibérica.

 

– Suevos: invadiram e habitaram a Península Ibérica.

 

– Vândalos: estabeleceram-se no norte da África e na Península Ibérica.

 

– Ostrogodos: invadiram a região da atual Itália.

 

- Teutões: povos gernânicos que viviam no centro e norte da Europa.

 

arquitetura bárbara germânica

 Arte Visigótica: exemplo da arquitetura bárbara na Península Ibérica.

 

Economia e guerras

 

A maioria desses povos organizava-se em aldeias rurais, compostas por habitações rústicas feitas de barro e galhos de árvores. Praticavam o cultivo de cereais como o trigo, o feijão, a cevada e a ervilha. Criavam gado para obter o couro, a carne e o leite. Dedicavam-se também às guerras como forma de saquear riquezas e alimentos. Nos momentos de batalhas importantes, escolhiam um guerreiro valente e forte e faziam dele seu líder militar.

 

Saque de Roma pelos Vândalos, no ano de 455

Saque de Roma pelos Vândalos, no ano de 455.

 

Religião dos bárbaros

 

Praticavam uma religião politeísta, pois adoravam deuses representantes das forças da natureza. Odin era a principal divindade e representava a força do vento e a guerra. Para eles, havia uma vida após a morte, e nela os bravos guerreiros mortos em batalhas poderiam desfrutar de um paraíso.



Contribuição germânica para a formação da cultura medieval

 

A mistura da cultura germânica com a romana formou grande parte da cultura medieval, pois muitos hábitos e aspectos políticos, artísticos e econômicos permaneceram os mesmos durante toda a Idade Média.

vitral rei franco Carlos Magno

Vitral: arte medieval representando o rei franco Carlos Magno.



Os Hunos: os mais temíveis entre os bárbaros


Dentre os povos bárbaros, os hunos foram os mais violentos e ávidos por guerras e pilhagens. Eles não eram germânicos, mas sim de origem euroasiática. Eram nômades (não tinham habitação fixa e viviam percorrendo campos e florestas) e excelentes criadores de cavalos. Como não construíam casas, viviam em suas carroças e em barracas, que armavam nos caminhos que percorriam. Sua principal fonte de renda era a prática do saque aos povos dominados, aos quaisespalhavam o medo, pois eram extremamente violentos e cruéis. O principal líder deste povo foi Átila, responsável por diversas conquistas em guerras e batalhas.

 

Foto de um escudo lombardo

Escudo usado pelos guerreiros lombardos.

 

 

Invasão do Império Romano do Ocidente pelos Bárbaros

 

 Durante muito tempo os germânicos viveram de forma pacífica nas fronteiras do Império Romano.

 

Os romanos chamavam os germânicos, depreciativamente, de povos bárbaros, porque eles não falavam o latim (língua oficial do império) e tinham costumes e culturas bem diferentes dos seus.

 

Nos últimos anos do século II, o Império Romano do Ocidente começou a sofrer as primeiras invasões de povos vindos inicialmente do interior da Europa e logo depois do continente asiático.

 

Já no século IV, a pressão demográfica começou a forçar os germânicos a ultrapassarem as fronteiras do império. Em busca de terras férteis e clima ameno, vários povos começaram a invadir os territórios romanos.

 

Os principais povos bárbaros que invadiram o império foram: vândalos, visigodos, francos, suevos, anglos, saxões, jutos, burgúndios, godos, hérulos, rúgios e alanos. Muitos desses povos fundaram reinos na Europa, que se desenvolveram durante a Idade Média.

 

Sem dúvida que houve muitas guerras e violência nesse processo. Mas os germânicos levaram a melhor, pois o Império Romano não estava mais tão preparado militarmente e enfrentava graves crises políticas internas.

 

Muitas cidades romanas foram destruídas, enquanto outras foram poupadas pelos germânicos, que absorveram muitos elementos da cultura latina e foram, aos poucos, se convertendo ao cristianismo.

 

Após esse processo de invasões bárbaras, finalizado no século V, teve início uma nova etapa na história da Europa: A Idade Média e a formação do feudalismo, unindo elementos culturais, sociais e políticos das duas culturas (latina e germânica).



Você sabia?

 

- O Império Romano do Ocidente caiu definitivamente quando o último imperador romano Rômulo Augusto, foi deposto pelos bárbaros hérulos no ano 476.

 

- Alguns historiadores denominam esse período histórico como “Migrações dos povos bárbaros”.

 

Pintura mostrando o saque de Roma pelos vândalos
Saque de Roma pelos Vândalos em 455.

 

 

TEXTO COMPLEMENTAR: OS BURGÚNDIOS

 

Os burgúndios eram um antigo povo germânico, proveniente da Península da Escandinávia.

 

Os burgúndios se estabeleceram, no século IV, ao longo das margens do rio Reno. Formaram neste local um reino, cuja capital era Worms.

 

Atacados pelos hunos no século IV, os burgúndios se dividiram em dois grupos. Um grupo foi para a Espanha, junto com os visigodos. Outro grupo obteve a permissão para se integrar, na condição de federados, do Império Romano, nas regiões da Gália e Germânia.

 

Após a queda do Império Romano, seguiu-se um período de expansão sob o reinado de Gundebaldo, no começo do século VI. Porém, em 534 foram dominados pelos francos, apesar de conseguirem manter certa autonomia política como reino da Burgúndia. Este reino existiu na região da atual Borgonha na França.

 

Os principais reis burgúndios foram: Godomário, Sigismundo, Gundebaldo, Godegisel, Chilperico e Gondicário.

 

Gundebaldo, rei burgúndio

Gundebaldo, rei dos burgúndios de 473 a 516.

 

 


 

atualizado em 29/10/2021

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).




Você também pode gostar de:


Povos Bárbaros Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Fontes de pesquisa consultadas para a elaboração do texto:

 

- PILETTI, Nelson. História e Vida Integrada. São Paulo: Editora Ática, 1998.

 

- VICENTINO, Cláudio. História Geral – volume único. São Paulo: Editora Scipione, 2011.


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2021 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.