Antártida e suas características

A Antártida é um continente localizado no Polo Sul do planeta Terra.


Foto da Antártida: típica paisagem
Foto da Antártida: típica paisagem

 

Dados gerais

 

Este continente de 14 milhões de Km2 rodeia o Polo Sul e é cercado pelo Oceano Antártico, que fica entre o Oceano Pacífico e o Atlântico. Devido ao frio intenso com ventos violentos, esta região, permanentemente coberta pelo gelo, possui condições desfavoráveis para quase todo meio de vida, porém, vivem ali os pinguins, que procuram seu alimento no mar, focas e também um grande número de baleias.

 

Animais, clima, características e dados

 

A foca é um animal de clima frio típico da Antártida, alimenta-se do plâncton marinho e é uma das espécies animais que mais corre risco de extinção. O corpo de uma foca é hidrodinâmico, semelhante a um torpedo, com os membros posteriores e anteriores em forma de nadadeira. Outro detalhe interessante é que esta espécie não possui orelhas. Todas essas características fazem destes bichinhos excelentes nadadores, mas em contrapartida eles não têm habilidade em terra firme sendo presas fáceis para predadores e caçadores. Para se proteger do frio estes seres não contam com pelos, mas sim com uma espessa camada de gordura subcutânea. 

 

Os primeiros exploradores desta região atingiram o Polo Sul somente em 1912 e o mapeamento do relevo foi feito por fotografias aéreas, única forma possível para atravessar o gelo. Ainda há muito que se estudar e observar neste continente, que tem muito a dizer sobre o passado glacial da Terra e sobre suas condições climáticas. 

 

Juridicamente, a Antártida está sujeita ao Tratado da Antártida, pelo qual as várias nações que reivindicaram território no continente, com o propósito de explorar seus minérios nos grandes depósitos de carvão e outros minerais (Argentina, Austrália, Chile, França, Noruega, Nova Zelândia e Reino Unido) concordam em suspender as suas reivindicações, abrindo o continente à exploração científica. 

 

Por esse motivo, e pela dureza das condições climáticas, a Antártica não tem população permanente, embora tenha uma população residente de cientistas e pessoal de apoio nas bases polares, que oscila, em seu número, entre o inverno e o verão.

 

Outra questão importante que envolve a região, na atualidade, é o derretimento das calotas polares. Com o aquecimento global, provocado pelo efeito estufa, enormes blocos de gelo (iceberg ) têm se desprendido do polo sul. Este fenômeno climático pode acarretar sérios danos no futuro caso continue. Pesquisadores afirmam que muitas cidades litorâneas podem desaparecer do mapa caso o quadro não seja revertido.


Países que tem reivindicações de território na Antártida e nome dos territórios:

 

- Argentina (Terra do Fogo)


- Austrália (Território Antártico Australiano)


- Chile (Região de Magalhães e Antártica Chilena)


- França (Terra Adélia)


- Nova Zelândia (Dependência de Ross)


- Noruega (Terra da Rainha Maud e Ilha de Pedro I)


- Reino Unido (Território Britânico da Antártica)

 

Foto de pinguins imperador na Antártida

Pinguins na Antártida: continente abriga poucas espécies de animais.

 

 

Dados geográficos sobre a Antártida:

 

- Área total: 14 milhões km2 (aproximadamente).


- Área sem gelo: 280 mil km2 (aproximadamente).


- Área com gelo: 13,7 milhões km2 (aproximadamente).


- População permanente: 0 habitantes.


- População não permanente (pesquisadores): cerca de 1.000.


- Densidade demográfica: <0,1 hab./km².


- Instalações científicas: 65 bases de 30 países.


- Ponto mais elevado: cume do maciço Vinson, com 4.892 metros de altura.



- Maior depressão: fossa subglacial Bentley com 2.538 metros abaixo do nível do mar.


- Maior mar: mar de Weddell com, aproximadamente, 2,8 milhões de km².


- Temperatura mínima registrada: -89,2°C.

 

Bases científicas na Antártida

 

- Atualmente, são 29 países que possuem bases científicas instaladas na Antártida. Aproximadamente mil cientistas fazem diversos experimentos na região. O Brasil é um destes países. A estação brasileira de pesquisa é chamada de Comandante Ferraz.

 

Influência das mudanças climáticas

 

- Em setembro de 2014, a NASA (Agência Espacial Norte-Americana) divulgou fotos que mostrava o aumento da cobertura de gelo na Antártida. Este aumento, verificado no inverno, foi o maior dos últimos 40 anos e, de acordo com a agência, pode estar ligado às mudanças climáticas no planeta e ao derretimento de gelo no Ártico, na estação do verão.

 

Iceberg da Antártida (Polo Sul)

Antártida: presença de grandes blocos de gelo chamados de Icebergs.

 

 

Exemplos de espécies animais da Antártida

 

Pinguim-imperador

Classificação Científica:

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Sphenisciformes
Família: Spheniscidae
Gênero: Aptenodytes
Espécie: A. forsteri



Foca

Classificação Científica

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Infraclasse: Placentalia
Ordem: Carnivora
Superfamília: Pinnipedia
Família: Phocidae



Krill

Classificação Científica

Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Subfilo: Crustacea
Classe: Malacostraca
Superordem: Eucarida
Ordem: Euphausiacea



Elefante-marinho

Classificação Científica

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Infraclasse: Placentalia
Ordem: Carnivora
Superfamília: Pinnipedia
Família: Phocidae
Gênero: Mirounga



Leão-marinho Antártico

Classificação Científica

Reino:Animalia 
Filo: Chordata 
Subfilo: Vertebrata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Otariidae
Gênero: Arctocephalus
Espécie: A. gazella

 

 

Baleia-franca

Classificação Científica

Reino:Animalia 
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Cetacea
Subordem: Mysticeti
Família: Balenidae

 

 

Albatroz-errante

Albatroz-errante na água

Classificação Científica

Reino: Animalia 
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Procellariiformes
Família: Procellariidae
Gênero: Diomedea
Espécie: D. exulans

 

 

Petrel

Ave Petrel cinza

Classificação Científica

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Procellariiformes
Família: Procellariidae

 

 

 

 

Estação científica alemã de Neumayer
Estação científica alemã de Neumayer

 

A Antártida não pertence a nenhum país e, portanto, não pode ser explorada nem colonizada. Porém, os países signatários do Tratado Antártico, assinado em 1961, podem manter bases e estações destinadas a pesquisas científicas no continente de gelo. Cerca de 30 países mantêm estas estações, inclusive o Brasil, cujos cientistas executam pesquisas que não agridem o ambiente. Geralmente, estas bases funcionam no verão e ocorrem na parte continental e também no Oceano Glacial Ártico.

 

Principais bases e estações científicas na Antártida:

 

- Estação Comandante Ferraz (Brasil) – iniciou as operações em 1984 e está localizada na ilha do rei George.

 

- Base Belgrano II (Argentina) – iniciou as operações em 1979 e está localizada na Terra de Coats.

 

- Estação Esperanza (Argentina) – iniciou as operações em 1975 e está localizada na Baia Hope.

 

- Estação Mawson (Austrália) – iniciou as operações em 1954 e está localizada na Terra de Mac Robertson.

 

- Estação Professor Julio Escudero (Chile) – iniciou as operações em 1995 e está localizada na Ilha do rei George.

 

- Estação Scott (Nova Zelândia) – iniciou as operações em 1957 e está localizada na Ilha de Ross.

 

- Estação Domo Fuji (Japão) – iniciou as operações em 1995 e está localizada na Terra da rainha Maud.

 

- Estação Antártica Polonesa Henryk Arctowski (Polônia) – iniciou as operações em 1977 e está localizada Ilha do rei George.

 

- Estação Bellingshausen (Rússia) – iniciou as operações em 1968 e está localizada na Ilha do rei George.

 

- Estação Concórdia (Itália) – iniciou as operações em 2005 e está localizada no Planalto Antártico.

 

- Estação de Pesquisa Halley (Reino Unido) – iniciou as operações em 1956 e está localizada Plataforma de Gelo Blunt.

 

- Estação de Pesquisa Signy (Reino Unido) – iniciou as operações em 1947 e está localizada nas Ilhas Órcades do Sul.

 

- Estação Dumont d'Urville (França) – iniciou as operações em 1956 e está localizada na Terra Adélia.

 

- Estação Georg von Neumayer (Alemanha) – iniciou as operações em 2009 e está localizada na Baia Atka.

 

- Estação da Grande Muralha (China) – iniciou as operações em 1985 e está localizada Ilha do rei George.

 

- Estação Maitri (Índia) – iniciou as operações em 1989 e está localizada na Região de Schirmacher.

 

- Estação McMurdo (Estados Unidos) – iniciou as operações em 1956 e está localizada Ilha de Ross.

 

- Estação Palmer (Estados Unidos) – iniciou as operações em 1968 e está localizada Ilha Anvers.

 

- Estação Polar Mendel (República Tcheca) – iniciou as operações em 2006 e está localizada Ilha james Ross.

 

 Você sabia?

 

- As principais linhas de pesquisas realizadas nas bases e estações científicas na Antártida são: mudanças climáticas, meteorologia, fauna aquática, geologia, oceanografia, climatologia, ecossistemas, glaciologia, magnetismo, ecologia e radiação cósmica.

 

 

TEXTO COMPLEMENTAR: GLACIOLOGIA

 

O Glaciologia é uma ciência da Terra que estuda a natureza física e química dos sistemas glacial e periglaciais. É, portanto, o estudo da Criosfera (quinta camada do planeta Terra) , isto é tudo o que se relaciona com as geleiras, o gelo e os fenômenos relacionados com o gelo, como o permafrost (tipo de solo congelado encontrado na região do Ártico),a transformação de neve, as interações de gelo com o ar, etc.

 

Os glaciologistas (cientistas especializado em glaciologia) estão preocupados em determinar as principais características das superfícies de gelo. Do ponto de vista físico, o balanço da massa de gelo e o comportamento mecânico do "material de gelo" são os objetivos principais da pesquisa atual.

 

Do ponto de vista química, as interações entre gelo, solo e ar são estudadas para entender melhor a evolução do gelo. Uma grande parte das amostras de gelo é extraída de núcleos de gelo .

 

A Glaciologia também está no centro da Paleoclimatologia (estudo das mudanças climáticas ao longo da história), com lençóis de gelo que funcionam como verdadeiros "arquivos" de temperatura e atmosfera durante o Período Quaternário (de 2,59 milhões de anos atrás até 10.000 anos atrás). Estudos glaciológicos têm sido fundamentais para comprovar  as ligações entre a temperatura média global e a concentração de gases de efeito estufa na atmosfera.

 

 A Glaciologia é, dessa forma, uma disciplina científica muito importante para o entendimento do sistema climático do nosso planeta.

 

Curiosidade:

 

- O norueguês Bjørn Grothaug Andersen (1924-2012) foi um dos mais importantes glaciologistas da história. Seus estudos de geologia glacial foram de grande importância para o entendimento de várias questões relacionadas às mudanças climáticas do planeta.

 

Bjørn G. Andersen, importante glaciologista da História

Bjørn G. Andersen, importante glaciologista norueguês.

 

 



atualizado em 26/08/2021




Você também pode gostar de:


Antártida e suas características Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Antártida - a última terra

Autor: Capozoli, Ulisses

Editora: Edusp


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2021 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.