Governo Jânio Quadros (1961)

Características do governo Jânio Quadros, eleição, política interna e externa, resumo, principais realizações, economia


Jânio Quadros: governo de apenas 7 meses
Jânio Quadros: governo de apenas 7 meses

 

Campanha eleitoral e eleição


Jânio da Silva Quadros foi eleito presidente do Brasil, através do voto direito, nas eleições presidenciais de 1960. Jânio, que já havia sido vereador, prefeito e governador do estado de São Paulo, fez uma campanha eleitoral baseada na identificação com as massas. Passou a ideia de um cidadão simples (homem do povo) que tinha como objetivo moralizar o país. Como símbolo da campanha usou uma vassoura, pois dizia que ia varrer tudo que havia de errado no Brasil (principalmente a corrupção).

 

Jânio afirmava também, durante a campanha, que não tinha vínculo com os políticos tradicionais e com as forças poderosas do país. Faria, se fosse eleito, um governo voltado para os interesses populares. Apostou mais na imagem do que no conteúdo, já que não explicava a maneira pela qual iria resolver os principais problemas nacionais.

 

A campanha foi bem sucedida e Jânio venceu as eleições de 1960 com cerca de seis milhões de votos.

 

Governo Jânio Quadros


Jânio governou apenas sete meses, pois renunciou em 25 de agosto de 1961. Durante este breve período, tomou medidas polêmicas de pouca importância, sofreu duras críticas e não conseguiu estabelecer uma relação harmônica com o Congresso Nacional.

 

Economia


Sem um projeto eficiente para resolver os principais problemas econômicos do país, Jânio viu sua popularidade cair em função do aumento da crise econômica, caracterizada pelo crescimento da dívida externa e da inflação (heranças do governo JK).

 

As medidas econômicas tomadas por seu governo surtiram pouco efeito.

 

Política interna


Jânio buscou afastar-se das tradicionais forças políticas do país. Acredita que assim teria mais liberdade para governar, pois não teria compromissos com partidos políticos. Desta forma, as negociações com o Congresso Nacional ficaram difíceis e, muitas vezes, conflituosas.

 

Principais medidas polêmicas tomadas por Jânio:


- Proibição das brigas de galo.

 

- Proibição do uso de biquínis nas praias.

 

- Proibição do lança-perfume.

 

Política externa


Na área externa, Jânio procurou romper com a dependência dos Estados Unidos. Aproximou-se dos movimentos nacionalistas e de esquerda.

 

- Buscou reaproximar diplomaticamente o Brasil da União Soviética (país socialista).

 

- Enviou o vice-presidente, João Goulart, em missão oficial para a China (país que seguia o socialismo).

 

- Criticou a política dos Estados Unidos com relação a Cuba.

 

- Condecorou, com a ordem do Cruzeiro do Sul, Che Guevara (uma das principais figuras revolucionárias comunistas do período).

 

Esta política externa desagradou muito os setores conservadores da sociedade brasileira, os políticos de direita e também as Forças Armadas do Brasil.

 

Renúncia


Com baixa popularidade, enfrentando uma crise econômica, sem apoio de grande parte do legislativo e com o descontentamento dos militares, o governo Jânio Quadros entrou em colapso sete meses após seu início. Em 25 de agosto de 1961, Jânio enviou uma carta ao Congresso Nacional comunicando sua renúncia. Deu poucas explicações dos motivos, falando apenas que havia “forças terríveis” contra ele.




Impressão Google+


Governo Jânio Quadros (1961) Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

- O Governo Jânio Quadros (coleção Tudo é História)
  Autor: Benevides, Maria Victória de Mesquita
  Editora: Brasiliense
  Temas: História do Brasil


Veja Também


Temas diversos

Siga-nos no
Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2017 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.