Guerra do Ópio

História da Guerra do Ópio, causas, resumo, contexto histórico, fases, consequências para a China, principais acontecimentos


Navio de guerra britânico bombardeando navios chineses
Navio de guerra britânico bombardeando navios chineses

 

O que foi

 

A Guerra do Ópio, também conhecida como Guerra Anglo-Chinesa, foi um conflito armado ocorrido em território chinês, em meados do século XIX, entre a Grã-Bretanha e a China. Ocorreram dois conflitos: A Primeira Guerra do Ópio (entre os anos de 1839 e 1842) e a Segunda Guerra do Ópio (entre 1856 e 1860).

 

Contexto histórico

 

A Guerra do Ópio aconteceu dentro do contexto do Imperialismo e Neocolonialismo da segunda metade do século XIX. Nações europeias, principalmente a Inglaterra, conquistaram e impuseram seus interesses econômicos, políticos e culturais aos povos e países da Ásia, África e Oceania.

 

Causas da Primeira Guerra do Ópio (1839 a 1842)

 

No início do século XIX, as nações europeias só tinham autorização do governo chinês para fazer comércio através do porto de Cantão. O governo chinês também proibia os europeus de comercializarem seus produtos diretamente com os consumidores chineses. Havia intermediários (funcionários públicos) que estabeleciam cotas de produtos e preços a serem cobrados.

 

A Grã-Bretanha, em plena Segunda Revolução Industrial, buscava avidamente mercados consumidores para seus produtos industrializados, porém as medidas protecionistas chinesas dificultavam o acesso dos britânicos ao amplo mercado consumidor chinês.

 

Como não conseguiam ampliar o comércio de mercadorias com os chineses, os ingleses passaram a vender ópio, de forma ilegal, para a população da China como forma de ampliar os lucros. O ópio, cultivado na Índia (colônia britânica) era viciante e fazia muito mal a saúde. Em pouco tempo, os ingleses estavam vendendo toneladas de ópio na China, tornando o vício uma epidemia. O governo chinês chegou a enviar uma carta para a rainha Vitória I da Inglaterra protestando contra este verdadeira tráfico de drogas mantido pelos ingleses.

 

Mesmo com os protestos do governo chinês, os ingleses continuaram a vender ópio na China. Em 1839, como forma de protesto, o governo chinês ordenou a destruição de um carregamento de ópio inglês. O governo britânico considerou o ataque uma grande afronta aos seus interesses comerciais e ordenou a invasão armada à China, dando início a Primeira Guerra do Ópio.

 

Os britânicos invadiram e dominaram a China. A guerra terminou com a derrota chinesa em 1842.

 

O tratado de Nanquim

 

Após a guerra, a Inglaterra impôs o Tratado de Nanquim aos chineses, com as seguintes obrigações:

 

- A China teve que abrir cinco portos ao livre comércio;

- Os ingleses passaram a ter privilégios no comércio com a China;

- A China teve que pagar indenização de guerra à Inglaterra;

- A China teve que ceder a posse da ilha de Hong Kong aos britânicos (a ilha foi possessão britânica até 1997).

 

 

A Segunda Guerra do Ópio (1856 a 1860)

 

Foi uma continuação da Primeira Guerra do Ópio, porém a Inglaterra contou com a França e a Irlanda como aliadas contra os chineses.

 

O conflito armado começou logo após funcionários chineses revistarem um navio britânico. Como os chineses já não estavam respeitando algumas cláusulas do Tratado de Nanquim, os britânicos resolveram atacar novamente a China que saiu derrotada mais uma vez. Os ingleses e franceses impuseram o Tratado de Tianjin a derrotada China.

 

Tratado de Tianjin

 

- Dez portos chineses deveriam permanecer abertos ao comércio internacional;

 

- Liberdade para os estrangeiros de viajar e fazer comércio na China;

 

- Garantia de liberdade religiosa aos cristãos em território chinês;

 

- A China deveria pagar pesadas indenizações de guerra à Inglaterra e França.


 



Impressão Google+


Guerra do Ópio Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

- Império das Lágrimas - A Guerra do Ópio

  Autor: Freches, José

  Editora: Bertrand (Portugal)

  Temas: História Geral, Literatura

 


Veja Também


Temas diversos

Siga-nos no
Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2015 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.