Cantigas de Roda - Cirandas

O que são as cantigas de roda, cirandas, músicas infantis, exemplos, folclore brasileiro, caranguejo peixe é, atirei o pau no gato, capelinha de melão, escravos de Jó, ciranda cirandinha


Cantigas de roda: música infantil com coreografia
Cantigas de roda: música infantil com coreografia

 

Introdução 


As cantigas de roda, também conhecidas como cirandas são brincadeiras que consistem na formação de uma roda, com a participação de crianças, que cantam músicas de caráter folclórico, seguindo coreografias. São muito executadas em escolas, parques e outros espaços frequentados por crianças. As músicas e coreografias são criadas por anônimos, que adaptam músicas e melodias. As letras das músicas são simples e trazem temas do universo infantil.

 

Alguns exemplos de cantigas de roda:


Capelinha de melão


Capelinha de melão 
É de São João 
É de cravo, é de rosa, 
É de manjericão 
São João está dormindo 
Não acorda, não 
Acordai, acordai, 
Acordai, João! 

 

Caranguejo 


Caranguejo não é peixe 
Caranguejo peixe é 
Caranguejo não é peixe 
Na vazante da maré. 
Palma, palma, palma, 
Pé, pé, pé 
Caranguejo só é peixe, na vazante da maré!

 

Atirei o pau no gato


Atirei o pau no gato, tô 
mas o gato, tô tô
não morreu, reu, reu 
dona Chica, cá cá
admirou-se, se se
do berrô, do berrô, que o gato deu, Miau! 

 

Ciranda cirandinha


Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar, vamos dar a meia-volta, volta e meia vamos dar 
O anel que tu me deste era vidro e se quebrou 
O amor que tu me tinhas era pouco e se acabou 
Por isso, D. Fulano entre dentro dessa roda 
Diga um verso bem bonito, diga adeus e vá-se embora 
A ciranda tem tres filhas 
Todas tres por batizar 
A mais velha delas todas 
Ciranda se vai chamar

 

Escravos de Jó 


Escravos de Jó 
Jogavam caxangá 
Tira, bota, deixa o Zé Pereira ficar.
Guerreiros com guerreiros fazem zigue zigue zá 
Guerreiros com guerreiros fazem zigue zigue zá.

 

Peixe vivo


Como pode o peixo vivo
Viver fora da água fria
Como pode o peixe vivo
Viver fora da água fria
Como poderei viver
Como poderei viver
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Os pastores desta aldeia
Ja me fazem zombaria
Os pastores desta aldeia
Ja me fazem zombaria
Por me verem assim chorando
Por me verem assim chorando
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia

 

Fui no Itororó


Fui na fonte do Itororó
Beber água e não achei.
Achei linda morena
Que no Itororó deixei.

Aproveite minha gente
Que uma noite não é nada.
Se não dormir agora
Dormirá de madrugada.

Ó Mariazinha!
Ó Mariazinha!
Entre nesta roda
E dançara sozinha.

Sozinha eu não danço
Nem devo dançar
Porque tenho o boto
Para ser meu par.

 

A canoa virou


A Canoa virou
Pois deixaram ela virar
Foi por causa da (nome da pessoa)
Que não soube remar

Se eu fosse um peixinho
E soubesse nadar
Eu tirava a (nome da pessoa)
Do fundo do mar

Siri pra cá
Siri pra lá
(Nome da Pessoa) é bela
E quer casar


 



Impressão Google+


Cantigas de Roda - Cirandas Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

- Cantigas de Roda
  Autor: Blu Editora
  Editora: Blu Editora
  Temas: Folclore, Cultura Popular, Cantigas

 

- Acompanhe a Banda (Coleção Cantigas de Roda)
  Autor: Eko Editora
  Editora: Eko
  Temas: Folclore, Cultura Popular

 

- Brinquedos e Cantigas de Roda
  Autor: Manfredini, Maria de Fátima Ramia
  Editora: Jac
  Temas: Folclore, Cultura Popular


Veja Também


Temas diversos

Siga-nos no
Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2015 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.